O antigo Presidente do Zimbabué, Robert Mugabe, partiu para sempre!

Resta-nos render a nossa humilde e justa homenagem a um homem que nasceu, viveu e lutou pela libertação da humanidade, mesmo não isento de erros, pois não há ser humano isento. Os seus ideais pela liberdade, sobretudo de África, em particular África Austral, falam e falarão mais alto para sempre.

Não é nada fácil falar desta figura que nos deixou para sempre. Robert Mugabe dedicou a sua vida adulta na luta pela independência do seu país, o Zimbabué. Consentiu muitos sacrifícios, incluindo a morte do seu filho primogénito, vítima de doença, Robert Mugabe estando na cadeia, privado do direito de pelo menos ir assistir ao funeral.

Não se pode descurar a fase de vida de Robert Mugabe, marcada por enormes sacrifícios, que aliás galvanizaram enormemente a luta pela independência no Zimbabué.

Robert Mugabe é admirado por muitas pessoas, pela sua eloquência, a sua clareza na sua maneira de ver as coisas, inclusivamente numa altura em que a luta pela independência no Zimbabué se encontrava numa fase de desfalecimento, tendo logrado virar o ímpeto, melhorando a situação.

Robert Mugabe marcou presença em Moçambique, juntamente com as suas forças armadas, para defender a soberania moçambicana, durante a guerra dos 16 anos. Mugabe foi determinante na busca de solução para o fim do conflito armado em Moçambique. sempre que se revelou necessário, não dormiu, não descansou, até que o objectivo do fim da guerra em Moçambique fosse atingido.

Robert Mugabe leva consigo um lado nacionalista e pan-africanista muito forte e inquestionável, que vai ser lembrado por muitos.

Mais do que isso, a coragem que Robert Mugabe expressou, ao desafiar grandes potências mundiais, em prol de toda África.

Robert Mugabe continua bem visto nas comunidades rurais zimbabueanas e deixa um legado para todos os africanos, pela sua determinação na luta pelo empoderamento de toda África.

O continente, no seu todo, vai ressentir-se da falta de Robert Mugabe, sobretudo nos momentos em que o libertador do Zimbabué foi mais pujante.

África, não só, só terá a ganhar, se se agarrar ao legado histórico de Rober Mugabe, naquilo que trouxe para todos nós, aquele pan-africanismo, em que todos nós, os africanos, nos abraçamos, numa clara luta por uma causa justa, causa única.

Os africanos, para quem Robert Mugabe nasceu, viveu, lutou, não podem ousar esquecer-se deste legado, sob pena de adquirirem insónias eternas. 

Apesar da divisão do passado histórico de Mugabe, entre o seu heroísmo pela libertação da sua pátria, o Zimbabué, e pela alegada ditadura ou apego ao poder, na última etapa da sua governação, como alguns preferem entender, a Glória e heroicidade de Robert Mugabe vão perdurar para sempre.  

Enquanto viveu, Mugabe representou muita coisa para a humanidade, em particular para África. Foi um daqueles líderes que tentou unir África, imponderar os africanos, em busca de soluções típicas nossas, na clara visão de que os africanos não devem continuar subservientes ou não devem depender dos europeus para resolver os seus próprios problemas.

Mugabe começou por libertar o Zimbabué, do jugo colonial, e logo de seguida tentar “libertar” a região da Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral e toda África. 

Vá em paz, Robert Gabriel Mugabe!   

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *